Transtorno de Ansiedade de Doença: quando o medo de ficar doente se torna realidade

TAD 3
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

O transtorno de ansiedade relacionado à doença, antigamente chamado de “Hipocondria” envolve preocupação excessiva em ter uma doença médica grave não diagnosticada.

 

Mesmo após uma avaliação completa, ainda não é possível identificar uma condição médica que justifique as preocupações do indivíduo, que podem surgir por um sinal ou de uma sensação física (não patológica).

 

Indivíduos com transtorno de ansiedade de doença tornam-se facilmente assustados por elas, como ao saber que alguém ficou doente ou ao ler uma reportagem relacionada à saúde.

 

Assim, as preocupações com a saúde assumem uma posição de destaque na vida da pessoa, afetando atividades cotidianas, tornando-se um aspecto central na identidade e na autoimagem e um assunto frequente em conversas sociais e familiares de quem sofre com esse transtorno.

 

Identificando o Transtorno de Ansiedade de Doença

 

Conforme pesquisas, o transtorno começa no início da fase adulta, ocorrendo de igual forma em homens e mulheres.

 

Ao sentir muita angústia, a pessoa acaba se tornando incapaz de exercer suas atividades cotidianas. Isso prejudica tanto o seu desempenho no trabalho como seus relacionamentos pessoais.

 

Essa ansiedade ocorre, pois, os sintomas físicos insignificantes ou funções corporais normais (como percepção do batimento cardíaco) são interpretadas de forma incorreta e superestimada pela pessoa.

 

Quais são os sintomas?

 

A pessoa pode ou não apresentar sintomas físicos. Em caso positivo, os sintomas são leves e a pessoa fica mais preocupada com o que os sintomas podem significar (ou seja, uma doença grave, supõe) do que com os próprios sintomas.

 

Algumas pessoas se autoexaminam repetidamente. Como, por exemplo verificar sua pulsação cardíaca muitas vezes para analisar se os batimentos estão regulares.

 

Além disso, quem sofre com transtorno de ansiedade de doença pode procurar assistência médica frequentemente. Porém, outras pessoas sentem muita ansiedade em ter que buscar um médico e o evitam de todas as formas, a fim de não ter seu diagnóstico suspeito confirmado por um médico.

 

A doença tem um papel central em suas vidas e monopoliza suas conversas com outros. Elas pesquisam extensivamente sobre a doença que acreditam ter e se preocupam facilmente com elas, mesmo que a doença esteja afetando outras pessoas e não ela propriamente.

 

Pessoas com transtorno de ansiedade de doença constantemente buscam tranquilização por parte de familiares, amigos e médicos.

 

Quando o médico tenta acalmá-las (por exemplo, dizendo-lhes que os resultados de exames e testes estão normais), elas geralmente pensam que o médico não está levando seus sintomas a sério, o que pode as deixar ainda mais ansiosas e, até mesmo, depressivas.

As pessoas com esse transtorno podem, então, tentar evitar situações que poderiam resultar em mais estresse (como, por exemplo, visitar familiares doentes). Elas também podem evitar atividades que acreditam colocar em risco sua saúde (como exercícios, por exemplo).

 

O diagnóstico

 

O médico suspeita que existe um transtorno de ansiedade por doença quando a pessoa fica excessivamente ansiosa com o fato de ter ou não uma doença grave.

 

Primeiramente, o médico realiza uma avaliação completa para determinar se uma doença física está presente. Além disso, as avaliam quanto à presença de depressão e outros transtornos de saúde mental.

 

O diagnóstico de transtorno de ansiedade de doença é confirmado quando os sintomas permanecem por seis meses ou mais.

 

O transtorno tende a ser crônico. Ele pode diminuir e, em seguida, reaparecer. Contudo, algumas pessoas se recuperam completamente. Vamos ver como funciona o tratamento?

 

Tratamento

 

O tratamento do transtorno de ansiedade de doença inclui a Psicoterapia, principalmente com a abordagem cognitivo-comportamental, podendo ser associada ao uso de medicamentos, dentre eles os inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS).

A serotonina é uma substância química produzida pelo nosso corpo, que funciona como um neurotransmissor. Ela afeta a maior parte das funções do cérebro, sendo chamada de “hormônio do humor” e, também, de “hormônio do prazer”.

 

Os ISRS bloqueiam a sua reabsorção, aumentando os seus níveis entre os neurônios. Esses fármacos são usados no tratamento de diferentes tipos de depressão, transtornos de ansiedade e transtornos de personalidade.

Como a psicoterapia pode auxiliar no tratamento de Transtorno de Ansiedade de Doença?

 

Na Terapia Cognitivo-comportamental, o terapeuta especializado identifica os comportamentos disfuncionais do paciente, isto é, suas ações que provocam sofrimento e/ou problemas de saúde.

 

Com maior consciência sobre si mesmo, ele pode ter mais controle sobre seus hábitos e, dessa forma, criar comportamentos.

 

Se você leu até aqui, já sabe quais são os sintomas do transtorno de ansiedade de doença e como tratá-lo. Agora vamos falar de alguns hábitos que você pode ter para levar uma vida de forma mais saudável.

 

Como podemos cuidar da nossa saúde?

 

  • Evitar o consumo de álcool pois pode ser prejudicial e agravar determinadas condições;
  • Reduzir o consumo de cafeína;
  • Praticar exercícios físicos: uma atividade aeróbica por 20-30 minutos, cinco dias por semana, melhora a condição cardiovascular. Em caso de lesão, praticar uma atividade que evite usar o grupo muscular ou articulação lesionados pode ajudar a manter a disposição física durante a recuperação.
  • Gerenciamento de estresse: buscar uma atividade agradável ou verbalizar uma frustração para reduzir o estresse e melhorar a saúde mental.
  • Utilizar técnicas de relaxamento: respiração profunda, meditação, ioga, exercícios aeróbicos e outras atividades que reduzem os sintomas de estresse.
  • Manter uma alimentação saudável: uma dieta que fornece os nutrientes essenciais e as quantidades adequadas de calorias, evitando o excesso de açúcar, carboidratos e alimentos gordurosos.

 

Lembre-se de que, para o sucesso de qualquer tratamento, é fundamental contar com o apoio de um profissional qualificado, a fim de que seja estabelecida uma relação consistente.

 

Todas essas estratégias citadas são fundamentais para manter sua saúde. Porém, a qualquer momento, se você sentir algum desconforto, seja ele físico ou emocional, fale com um especialista!

 


Psicóloga Carla Araujo
CRP – 05/58453
www.psicologacarlaaraujo.com.br


 

WhatsApp chat